GD CHAVES DISTRIBUIU PRESENTES E AFECTOS A CRIANÇAS E JOVENS

O Centro de Acolhimento Temporário da Santa Casa da Misericórdia de Chaves recebeu ontem à noite a visita do treinador, diretor desportivo e de alguns jogadores do Desportivo de Chaves que, entre presentes e “um abraço amigo”, quiseram deixar “esperança”.
Vítor Campelos, treinador do Desportivo de Chaves, dirigindo-se aos jovens em situação de acolhimento institucional, quis “partilhar a ideia de família” enraizada no grupo que dirige.
“Quando um está feliz, os outros também vão estar felizes. Queria que vocês também tivessem essa ideia. Devem formar uma família, principalmente nesta altura, respeitando-se uns aos outros, que é isso que nós fazemos enquanto equipa”, frisou.
O treinador aproveitou o mote para lançar um repto aos 13 jovens presentes, convidando-os a assistir a um treino do plantel e, ainda, a “dar uns toques na bola” com os jogadores, palavras que foram “música” para os ouvidos de João Santos, aluno do curso profissional de desporto.
“Desde pequenino que estou habituado a ir ao estádio e já fui apanha-bolas. É especial ter aqui os jogadores, sobretudo pelo gesto. Para mim, o mais importante foi o gesto solidário, a humildade e a presença”, reiterou o jovem de 18 anos.
Distante da sua família por questões profissionais, o guarda-redes brasileiro Paulo Vítor enalteceu a importância de “ajudar” e “acolher” os jovens nesta quadra.
Por tudo isto, Marco Terrão, Mesário da Santa Casa da Misericórdia de Chaves, mostrou-se “agradecido pelo apoio incondicional” do clube, em especial pela “palavra de alento” deixada aos jovens.
De referir que o grande impulsionador desta iniciativa é Francisco Carvalho, presidente honorário do GD Chaves, que este ano também contou com a colaboração da marca de equipamentos desportivos Lacatoni.

Deixe uma resposta